quinta-feira, 23 de junho de 2016

O Desenhador de Sóis XXII.


Falarei do Sol
De um milagre que vai acontecer a cada segundo dentro do teu peito
Falarei do sol – Falarei Sempre do Sol.
Do início dos teus ombros, de faróis, de meninos
Que desenham nas suas sebentas a linha da costa
Dos seus dedos pequeninos, do milagre dos seus dedos pequeninos
Falarei de uma Cartografia imaginária do paraíso,
Que nos coube entre mãos, falarei de sebentas perdidas,
De olhares cruzados, de túneis, de estradas
Falarei do sol, falarei sempre do sol
com os dentes tortos, com os olhos estrábicos
Com mãos tão seguras, falarei do sol;

Falarei sempre do Sol.


Nuno Brito

Sem comentários:

Enviar um comentário