segunda-feira, 3 de março de 2014



De vez em quando uma língua de mármore entra no Aleixo, por entre as nuvens, e leva uma criança: Se a língua quiser leva duas crianças, se lhe der vontade a língua tira três ou quatro grupos de meninos aos pais e desaparece. Os pais vão à Segu­rança Social e a língua não devolve as crianças: E os pais pedem à língua uma segunda oportunidade; que vão tratar da vida, ter rendimentos: A língua recolhe-se para dentro do edifí­cio burocrata e volta sem trazer nada.





Créme de la Creme, Porto, Planeta Vivo, 2011.

Sem comentários:

Enviar um comentário